A nossa saúde depende de nós – Desafio Raw – Dias 19 e 20

Voltou a chuva este fim de semana, acompanhada de um nevoeiro denso, mas que, pelo menos, deixa o tempo menos frio. Como recebi amigos em casa, comi um pouco fora da regra. Continuei a comer maioritariamente fruta, e sempre vegano, mas fiz doses mais pequenas, bebi algum vinho no sábado à noite e no domingo, almocei e jantei cozinhado. Hoje, segunda-feira, a minha energia não é a mesma que tenho nos dias em que me alimento adequadamente, sinto-me cansada, irritada, instável e muito mais lenta. Não posso negar que o aumento de cozinhados e o consumo de bebidas alcoólicas teve impacto em mim.

É muito bom, ter cada vez mais facilidade em ver as reacções do meu corpo aos alimentos, ter consciência da ligação entre a comida e as respostas físicas nas horas e dias seguintes. Antes não associava sintomas aos alimentos que ia colocando na boca. Como a maioria das pessoas, culpava o tempo, o azar, os vírus, o aquecimento, os animais, a falta de roupa, o excesso de roupa, o espirro do vizinho, culpava sempre algo externo, algo que parecia inevitável

O médico do centro de saúde ou do hospital, não tenta perceber o que causa os espirros, a febre ou as dores no corpo. O médico dá um comprimido que baixa a febre, retira as dores, cessa os corrimentos, mas a verdade é que o comprimido apenas apaga o alarme, e o incêndio continua, dentro de cada um. É comum, em conversas com familiares, amigos e estranhos, olharem-me de lado, quando sugiro mudanças alimentares para tratar asma, colites, dores de cabeça, etc. “Sabes mais que os médicos??”. Ai esta categoria do médico-deus que tudo sabe, ai de quem ouse dizer que estão errados, que os tratamentos hospitalares são nefastos, que com simples mudanças alimentares se evitariam vidas inteiras de visitas ao hospital,de tratamentos agressivos, químicos diários. Não vou negar que uma bomba para asma, pode salvar uma vida, não vou negar que uma transfusão de sangue e uma operação de urgência após um acidente, salvem vidas. Existe um lado bom na medicina convencional, quando é exigido um recurso de choque. Mas, no resto, ela erra muito. Destrói órgãos, debilita o sistema imunitário, mesmo quando aparentemente está a resolver alguma coisa. “Trata” através da destruição. Se há um cancro, há uma causa para o cancro, e é isso que se deveria procurar, colmatar carências vitamínicas, limpar e nutrir o organismo. Se se “cura” o cancro com quimioterapia e não se resolve o que causou o cancro inicialmente, o cancro volta mais tarde, noutra parte do corpo. Eliminar os sinais que o corpo vai dando todos os dias, como dores, febres, prisão de ventre, nariz entupido, não cura, não trata, apenas debilita e faz com que o incêndio continue, de forma mais silenciosa.

Cada vez mais pessoas têm noção desta realidade. Estamos a perceber que a nossa saúde depende de nós. Como queremos ser saudáveis, se chegamos a casa e inalamos ambientadores, detergentes agressivos, se comemos em panelas de alumínio, se bebemos água da torneira? Como queremos ter saúde, se passamos o dia todo a absorver toxinas fortíssimas pelo nariz, pela pele, pela boca? Não coloquem na pele nada que não colocariam na boca. A pele absorve tudo! Percam um tempinho e vão ver a quantidade de químicos que absorvem todos os dias, entre creme dos olhos, de rugas, creme de corpo, desmaquilhante, maquilhagem, shampoo, amaciador, gel de banho, hidratantes, perfumes, corrector de olheiras e tintas de cabelo. O melhor esfoliante que usei na vida, é feito por mim, com 2 ingredientes simples. O melhor hidratante que usei na vida só tem 1 ingrediente simples. O melhor desmaquilhante que usei na vida só tem 1 ingrediente. É possível mudar e o melhor, é que essa mudança depende de nós!!!

Dia 19

– Batido com 10 bananas + sementes de cânhamo + 2 nacos de côco + açúcar de côco WP_20150228_12_33_03_Pro

– Snack cru de côco com sementes e de banana com mirtilos

– Algum arroz que sobrou do dia anterior

Dia 20

– 1L de Sumo de laranja natural

– Macarrão de milho, com tomate e legumes variados (cenoura, beringela, couves-de-bruxelas, brócolos e couve-flor) e repeti a mesma comida à noite, acompanhada duma salada grande com alface, rúcula, pepino e tomate.

WP_20150301_13_51_38_Pro

Anúncios

Grata pelo feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s