Dicas de beleza e cuidado externo – Pequenas mudanças que fazem uma grande diferença

Como sabemos, o nosso corpo é intoxicado, em grande escala, por aquilo que comemos. Intoxicado, não só por pesticidas, herbicidas e todo o tipo de químicos adicionados a alimentos, mas também por aquilo que comemos e não é adequado à nossa natureza, como os produtos de origem animal. Além desse intoxicação directa, ligada a consumos alimentares diários, está também outra, mais desvalorizada, ligada aos produtos que usamos na pele, no cabelo, ligada aos odores que inalamos, etc.

Retenham esta ideia: não coloquem na vossa pele, nada que não colocariam na boca. Ou seja, se não colocariam o vosso perfume na boca, se ele altamente tóxico ao ponto de conter um aviso no frasco, é altamente tóxico também colocado na pele, porque a pele absorve TUDO. Se não colocam detergente de lavar a louça na boca, não coloquem também nas vossas mãos, porque absorvem tudo. E se pensam “oh, são pequenas quantidades”, enganam-se, são quantidades aparentemente pequenas que o corpo não excreta e se vão acumulando e danificando as vossas células, o vosso cérebro, fígado, intestino, etc.

Se um produto alimentar ou produto de casa/corpo, tem ingredientes que vocês não reconhecem como alimento, deitem fora! Sim, lixo!! Se querem fazer algo pela vossa saúde, mudar de alimentação ajuda imenso, é o principal, mas não podem desvalorizar o resto. Se comem bem, e depois lavam os dentes com um colgate ou usam um perfume famoso qualquer, ou colocam um creme na cara antes de dormir, estão a tentar eliminar por um lado, e a intoxicar por outro. É possível lavar os dentes, lavar o cabelo, esfoliar a cara, usar maquilhagem, remover maquilhagem, com produtos nada nocivos, ou, pelo menos, drasticamente menos nocivos que a maioria dos produtos que existem na casa das pessoas. Vão aos vossos quartos de banho, e vejam os produtos que usam, todos os dias, entre pasta dentrífica, esfoliante, hidratante, desmaquilhante, corrector de olheiras, base, maquilhagem, desodorizante, cremes de corpo, creme de mãos, creme de pés, pinturas de unhas, shampoos, amaciadores, espuma de barba, aftershave, gel de banho, sabonetes, perfumes, protector solar, etc. Depois somem a isso tudo, medicações variadas, pílulas, detergente da louça, ambientadores, detergente do chão, dos vidros, da casa de banho, tintas de parede, etc, e imaginem o ambiente tóxico em que vivem vocês e as vossas famílias, diariamente. Se não podemos evitar o ar poluído duma rua onde trabalhamos, se não podemos evitar o perfume que alguém usa num autocarro e inalamos, podemos sim, evitar que a nossa casa, o espaço onde vamos dormir e conviver, seja também uma bomba tóxica.

Falemos de alternativas. Agora que deitaram tudo ao lixo (eheheh), vamos lá repor os vossos armários. Aviso, vai sobrar imenso espaço!

Para hidratar/suavizar/perfumar todo o corpo : óleo de côco biológico. A hidratação da nossa pele, depende mais do que comemos, do que daquilo que colocamos nela, ou seja, usar mil cremes, e continuar a comer fritos, ignorar a fruta, etc, não vai ter bons resultados a médio/longo prazo, mais cedo ou mais tarde a pele vai mostrar o verdadeiro estado interno (infelizmente sei do que falo). Além da suavidade que deixa na pele, o cheiro é maravilhoso. Por isso, em vez de perfumes, uso também o óleo de côco. Mil vezes cheirar a côco, do que cheirar a uma mistura de dezenas de químicos.

WP_20150320_10_29_15_Pro

Para esfoliar: açúcar mascavado misturado com óleo de caroço de alperce (podem usar outro óleo de que gostem, como amêndoas doces. Faço esfoliação diária. Já experimentei muitos esfoliantes (químicos, de ervanária, etc), e nenhum me satisfez como algo tão simples como isto. É maravilhoso, económico, ecológico e não-tóxico para nós.

WP_20150320_10_27_14_ProWP_20150320_10_26_21_Pro

Dentes: escovo os dentes ou com água apenas, ou óleo de côco ou quando sinto vontade de ter algum sabor na boca (em dias em que sinto mau sabor causado pelo detox), uso uma pasta de dentes de argila e dentie, biológica, sem flúor.

Desodorizante: A maioria dos desodorizantes do mercado, além duma quantidade absurda de produtos químicos altamente tóxicos, contém alumínio. Muitos estudos relacionam o uso de desodorizantes e anti transpirantes com alumínio, com o aumento da incidência de cancro da mama. O tema dos desodorizantes é um tema sensível para mim. Por mais que tivesse tentado, durante anos, desodorizantes e anti transpirantes de todas as marcas, sempre transpirei em abundância, com um cheiro muito forte, e isso fez com que tivesse muitos complexos. Hoje entendo como os lácteos me faziam mal, e como o meu corpo libertava as toxinas acumuladas pelo suor, e como por mais banho que tomasse ou produtos que usasse, continuava a libertar um odor muito intenso. Quando cortei os lacticínios, fiquei um meio ano, com um cheiro ainda mais forte do que no resto da minha vida. Custa-me realmente falar disto, mas, pensando bem, para que vou ter vergonha de algo que não controlava? Para que vou ter vergonha do julgamento dos outros, que associam cheiro a não limpeza e não conseguem ver mais além? Eu fui a alguns médicos por causa disso, tomei medicação hormonal, usei alguns produtos de farmácia, mas o problema continuava. Hoje entendo e abraço essa situação, mas não esqueço momentos embaraçosos que vivi, não esqueço que sentia o olhar das pessoas e como isso me fazia sentir mal. Hoje é diferente. Quando faço jejuns, o cheiro intenso aparece, mas aí é um cheiro muito característico do jejum e é normal, e bom sinal! Nos últimos anos usei desodorizante da marca Dr.Organic, sem alumínio, e, depois, passei a usar uma mistura que funciona muito bem como desodorizante e anti transpirante (transpiramos, mas o bicarbonato absorve o suor). Deixo aqui a receita:

  • 1/3 chávena de amido de milho (usem biológico, se possível, se não encontrarem, pelo menos procurem milho não-OGM;
  • 1/3 chávena de bicarbonato de sódio;
  • 10 gotas de óleo essencial de lavanda, eucalipto ou tea tree (são todos antibacterianos);
  • 10 gotas de óleo essencial de menta ou madeira de sândalo, (antifúngicos) No caso dos homens, melhor colocarem 20 gotas;
  • 3 colheradas de óleo de coco;
  • 2 colheradas de óleo de vitamina E (opcional).

Misturar todos os ingredientes num recipiente até formar uma pasta espessa. Colocar a pasta numa embalagem vazia de desodorizante em barra ou num frasquinho e usar diariamente.

WP_20150330_10_11_54_Pro

Como anti transpirante simples, podem usar a mistura de bicarbonato e sumo de limão. Misturem duas colheres de bicarbonato com 5 gotas de sumo de limão. Aplicar e deixar actuar 10 minutos, depois podem retirar algum excesso seco. Funciona realmente muito bem. A pele continua a poder eliminar, mas o bicarbonato absorve o suor.

Shampoo/Amacidador: Aqui temos duas opções. Para as menos ousadas: escolher um shampoo menos agressivo (Faith in Nature, por exemplo). Esqueçam qualquer um que existe em supermercados. Todos têm componentes altamente cancerígenos que penetram nos vossos corpos sempre que lavam o cabelo. Para as mais corajosas: no-poo, que significa no-shampoo/sem shampoo. Aqui ou recorremos a produtos simples. como vinagre de cidra e bicarbonato, ou usamos apenas água. Sim, dá trabalho, sim, é uma chatice, sim, há fases terríveis, mas faz-sel! Ninguém precisa dum shampoo para ter um cabelo bonito, mas tem de se dar oportunidade ao cabelo de deixar de depender de produtos que o lavaram toda a vida.

Iniciei o processo de no-poo em 2013, tive fazes em que usei bicarbonato e vinagre, mas rapidamente vi que não era o melhor para mim. Noutras fases, lavava o cabelo quase diariamente com água fria, mas também percebi que não era o melhor que podia fazer. Então decidi deixar de o lavar, durante um tempo, para deixá-lo respirar e ver o que acontecia. A verdade é que, inicialmente, ficou horroroso, oleoso, pastoso, cheio de caspa, mal cheiroso, baço, mas, mesmo assim, eu resolvi continuar e ver o que acontecia. Passada, mais ou menos, uma semana, começou a ser visível que, dia após dia, o cabelo melhorava! Eu pensava sempre, antes de dormir “amanhã desisto e lavo”, mas, no dia seguinte, acordava, e via que o cabelo estava melhor do que no dia anterior e deixava mais um dia. Fiz isto durante mais de um mês, e agora estou a fazer novamente. Nesta segunda vez já não passou por aquela fase horrorosa. Embora não esteja perfeito, ninguém diria que não o lavo nem com água há 4semanas! E, cada dia que acordo, está um pouco mais bonito que no dia anterior! Lentamente, está a acontecer.

Tenho a certeza que não precisamos dos químicos que alguém se lembrou de juntar de determinada forma, para ter um cabelo bonito. Habituamo-nos a isso, mas a verdade é que o nosso cabelo, a nossa pele, dependem da nossa saúde interna, com o grau de toxinas que temos dentro, com a quantidade de gordura que ingerimos, etc.

Já pensava fazer isto há algum tempo, mas a minha maior inspiração foi o cabelo do meu filho. O meu filho só lava o cabelo com água, desde que nasceu, e tem o cabelo lindo, brilhante e sedoso. Shampoos podem dar brilho, cheiro, toque de seda, mas, dão também toxinas que penetram na nossa pele e invadem as nossas células, órgãos, causando doenças. Prefiro ter o cabelo menos bonito neste momento, sabendo que é uma fase, do que dar-lhe uma falsa beleza que sai cara a nível de saúde.

cabelo

Desmaquilhante: azeite. Sim, azeite! Eu também não acreditava, até experimentar, limpa tudo e tão bem, é incrível! Outros óleos também resultam, como o de côco ou o de caroço de alperce. Experimentem vários e vejam o que resulta melhor para vocês. Eu não uso bases, e raramente me maquilho, usando apenas lápis dos olhos, biológico e vegano e um rimel muito simples. Nunca usei maquilhagem de forma diária, mas usava alguma sempre que saía à noite. Tudo isso contribuiu para deixar a minha pele mais enfraquecida, mais entupida, e baça.

Em vez dos sabões comuns e gel de banho, procurem sabões simples, de produção caseira, feitos com óleos e produtos de qualidade. O meu filho toma banho só com água, e tem um cheirinho maravilhoso e uma pele mesmo mesmo sedosa. Na semana passada fui ao Continente e pus-me a ler as listas dos ingredientes dos sabonetes e fiquei chocada. Realmente temos de estar cada vez mais doentes, e cada vez mais cedo, com a quantidade de químicos que absorvemos todos os dias. Culpamos os vírus, as epidemias, a gripe do vizinho, mas a verdadeira razão é mesmo este consumo diário de quantidades absurdas de toxinas!!

Lembrem-se: nunca colocar na pele aquilo que não colocariam na vossa boca!

Anúncios

25 comments

  1. Olá Barbara, obrigada pelas dicas. Realmente tenho notado que quanto menos produtos uso melhor. Desde que uso shampo biológico o meu cabelo aguenta uma semana e meia como se tivesse sido lavado no dia anterior. Com a minha filha nunca lhe coloquei cremes, nem pomadinhas e usava em vez dos toalhetes, compressas em não tecido que ou borrifava com água ou com spray de água do mar da uriage ou avene. Vou experimentar o óleo de coco para hidratar a pele e o esfoliante também

    Gostar

    • No corpo, óleo de côco, na cara, não uso, porque faço esfoliação com o açúcar misturado com óleo, já hidrata imenso. E a principal hidratação vem de dentro, da nossa alimentação, daquilo que colocamos na boca. Muita fruta, vegetais crus. A minha pele ainda tem que melhorar muito, depois de muita agressão que sofreu. O melhor que posso fazer é respeitá-la com a alimentação e aquilo que coloco nela, e esperar que melhore, mesmo não sendo rapidamente como desejo

      Gostar

      • Eu costumo usar um bb cream, com alguma cor, mas também com proteção solar, durante todo o ano. Faço esfoliações com algas ( mandei vir um pó da amazon), mais azeite, sal marinho e óleo essencial de lavanda para o corpo, para a cara uso o açúcar em vez do sal.

        Tenho cuidado com a alimentação, pois sou vegan, mas por ter uma colite ulcerosa, tenho várias restrições, nomeadamente comer legumes ou frutas cruas. Fico com o intestino numa lástima 😦

        Gostar

        • A colite ulcerosa tem cura, com mudanças alimentares. É preciso é seguir um plano rigoroso, há coisas de que tem mesmo de abdicar, como café, chocolate, etc. Mas resolve-se, e depois disso pode comer frutas e legumes à vontade. Não são os frutos e legumes que causam o problema… Se precisar de ajuda, posso recomendar alguém que a ajuda com isso, tem um grupo no facebook onde dá alguma orientação, mas também dá consultas individuais. Beijinho

          Gostar

        • Obrigada Bárbara 🙂 Tenho já isto já há mais de 10 anos e apesar de o meu médico ser um bom médico de gastro, nunca me soube orientar bem na questão da nutrição. Fiz a mudança de alimentação não por razões de saúde, mas sim por razões éticas (há 4 anos) , mas não melhorei muito. Se eu já ia muitas vezes á casa de banho, com uma alimentação vegetariana ainda vou mais ( 3 ou 4 por dia).

          Recentemente, a minha mãe que há mais de 20 anos sofre do estômago, foi finalmente a uma consulta com o Dr. Francisco Varatojo ( presidente do Instituto de Macrobiótica) e ” milagrosamente” está a melhorar, apesar de por enquanto ter uma dieta muito restrita até se perceber se tem problemas no pâncreas ou vesícula. E foi ele que me recomendou deixar de comer farinhas, seitan, evitar comer frutas e saladas cruas. Já não faço batidos como fazia, pois sentia-me realmente mal, mas ainda não aboli totalmente o pão ou as saladas cruas, não é fácil 😦

          Agradeço que me indique o grupo que falou, pois preciso de algumas indicações 🙂

          Gostar

  2. Olá Bárbara,
    excelente artigo. É verdade que os produtos de cosmética estão cheios de coisas indesejáveis. Como sou farmacêutica de formação tenho bem noção disso. E não pensem que os produtos de farmácia que, por serem mais caros, são melhores…São a mesma coisa. Os testes necessários para a colocação de produtos cosméticos no mercado são muito menos exigentes que os para medicamentos. E se há aprovação de medicamentos mesmo sendo eles nocivos, imaginem o que se passa com os cosméticos…
    Apesar de estar consciente deste problema, confesso que ainda não atingi o ponto que queria relativamente à utilização desses produtos cá em casa, mas é algo que pretendo optimizar brevemente. O teu artigo veio dar-me luzes muito importantes. No curso de farmácia só aprendemos a fazer cosméticos com químicos horríveis e ninguém nos fala de cosmética natural…
    Beijinho e obrigada
    Joana

    Gostar

  3. Muito obrigada por este post, também ando a fazer a mudança, aliás deitei tudo para o lixo, entre os cosméticos e a alimentação, quase não compro nada no supermercado ou farmácia. Sobre o desodorizante, comprei no Celeiro um Crystal pedra de alúmen, pareceu-me inofensivo e dura muito tempo. Temos de deixar de confiar no que nos oferecem nas prateleiras dos supermercados e farmácias. Beijinho

    Gostar

Grata pelo feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s