Tudo que já ultrapassei – Vegan and Love revolution

 

Se me perguntarem que tipo de doenças tenho, eu não posso dizer que tenho alguma. Há mais de 6 anos que não sei o que é uma simples gripe ou constipação. Não sei o que é estar doente, ter asma, prisão de ventre, dor de cabeça ou azia. Não tenho nenhum sintoma perceptível, é um facto. Mas isso não me chega ainda. Eu olho para tudo que fiz durante a vida, tudo que consumi, fumei, bebi, coloquei na pele, e sei que muito está aqui dentro. Os metais pesados não saem facilmente, vacinas, antibióticos, tudo isso fica bem entranhado em nós. Por isso eu me foco tanto em fazer limpezas, em comer mais cru, em tomar super-alimentos, em fazer jejuns, etc. Há muito caminho para andar.

Se sou uma mulher feliz? Sem dúvida, posso dizer-vos que sou muito feliz, mas não me sinto ainda plena, não sinto a energia que já senti (quando comi tudo cru) e quero sentir de novo. Estou numa caminhada entusiasmante, que ainda agora começou!! Mas olhando para trás, vejo o quanto ultrapassei, vejo como já dei passos grandes e firmes. Deixo-vos aqui um resumo de algumas das mudanças que vi em mim, por ter adoptado o veganismo e ter optado por trocar produtos nocivos que colocava na pele e no cabelo, por ingredientes naturais.

 

TUDO QUE ULTRAPASSEI NOS ÚLTIMOS ANOS:

(Nota: eu uso a palavra vegana aqui para descrever o vegetarianismo estricto, e ovo-lacto para descrever a forma que abre excepção para derivados. Uso desta forma porque sei que se disser apenas “vegetariana”, muita gente vai pensar que inclui derivados. Embora a palavra vegano, vá além da alimentação, uso-a aqui para diferenciar estes dois tipos de forma de comer)

  • Quanto ao meu cabelo, deixei de usar shampoos nocivos, amaciadores. Não o pinto, não uso secador, não uso cremes de nenhum tipo. No máximo, uso óleo de côco para dar brilho. Antes o meu cabelo ficava oleoso dois dias depois de lavar, tinha de lavá-lo dia sim, dia não. Agora fico meses sem usar shampoo. Sim, meses! Há uns meses fiz a experiência de deixar de lavá-lo completamente (sem água!) e vejam o resultado. Podemos achar que, a cada dia ficaria mais oleoso, mais pesado, mas o que verifiquei é que a cada dia, ele vai melhorando. Começa por ficar muito feio quando largamos o shampoo e deixamos de lavar, mas depois começa a melhorar, um dia de cada vez.

Tirada com a Lumia Selfie

  • Sinusite, rinite, bronquite, ataques de asma, nariz congestionado diariamente. Tinha alergia aos pólens, hoje não sei o que isso é – tudo desapareceu quando me tornei vegana.
  • Tosse, “gripes”, desapareceram. Tinha tosses horríveis, de me doer o peito, a garganta fica inflamada mensalmente, ficava afónica muitas vezes. Tinha laringites, faringites, anginas inchadas – tudo isso, desapareceu quando me tornei vegana.
  • Azia e Refluxo gastroesofágico. Sofria horrores, passava noites em branco, sentada na cama, porque se me deitava, o ácido subia à minha garganta e queimava imenso. Desapareceu quando me tornei vegana
  • Dores fortíssimas de ovários, ao ponto de me falharem as pernas, períodos abundantes, fraqueza, inchaço, mudanças de humor drásticas – hoje não tenho dores menstruais e os períodos são muito menos abundantes.
  • Cólicas intestinais, prisão de ventre: Isso melhorou logo quando deixei de comer carne e peixe, há 16 anos. Mas regularizou completamente quando reduzi o glúten e passei a comer mais cru.
  • Colesterol alto. O meu colesterol andou sempre pelos 200-220, até me tornar vegana. Mesmo quando era ovo-lacto, tinha o colesterol sempre alto. Deixar de comer animais não chega para baixar o colesterol, porque os lacticínios e os ovos são riquíssimos em gordura, e eu passei a comer muito mais derivados quando deixei de comer animais. Quando me tornei vegana, o valor desceu para níveis normais e nunca mais subiu.
  • Alterações de peso (alterações hormonais nos exames). O meu peso oscilava sempre, já andei dos 49 aos 70. Mas na fase em que era ovo-lacto, o meu peso variava muito, de mês a mês, descia e subia muitos quilos, tinha calores repentinos (afrontamentos), tonturas. Estabilizou quando me tornei vegana e passei a comer mais crus.
  • Dificuldades para adormecer, insónias e sonos pouco profundo. Sofri tantos anos com isto. Não só tinha imensa dificuldade em adormecer (às vezes demorava horas até adormecer, e cheguei a passar muitas noites sem dormir, de todo), como depois acordava de meia em meia hora e, muitas vezes, tinha insónias a meio da madrugada. Acordava sempre cansada e com a sensação de que o sono nunca era reparador e suficiente. Isso continuou enquanto fui ovo-lacto e só melhorou quando me tornei vegana. Isto mostra que tinha desarranjos hormonais que melhoraram, quando deixei os derivados, o que é natural, visto a quantidade de hormonas que ingerimos ao consumir lacticínios, ao tomar certas medicações que eliminei, etc.

Resumindo: deixar de comer animais, trouxe diferenças a alguns níveis, mas, sem dúvida, a grande transformação veio do vegetarianismo estrito. Estas mudanças devem-se também ao facto de ter deixado de usar: perfumes, cremes de corpo, cremes de cara, medicação de farmácia, shampoos nocivos, gel de banho, pinturas nocivas (bases, correctores, tudo que me tapava os poros e não deixava a minha pele respirar), detergentes nocivos, desodorizantes nocivos (com alumínio), ambientadores, tintas de cabelo, gel ou lacas, mil e um produtos de limpeza para casa (móveis, wc, paredes). Na minha cozinha não se usam aditivos, não se frita, evita-se o trigo, nada de aspartames ou adoçantes (uso tâmaras). Comemos comidas deliciosas, mas saudáveis. Não uso gordura para cozinhar (gordura só a cru), nada de molhos de soja ou margarinas vegetais. Vejo os rótulos de TUDO.

Não como (ainda) apenas frutas e vegetais, mas o resto é  simples, arroz, batata, se usar massas, dou preferência às de milho ou arroz, se usar pão com glúten, opto pelo de espelta (mas é algo a eliminar também).

Embora eu ache que comer 100% cru é o ideal para mim, não sei se o farei a vida toda, sem abrir excepções (nem que seja uma vez por mês). Este ano tem sido precioso em ensinar-me a não generalizar. Olhando à minha volta, e nos estudos que faço de Human Design, consigo perceber que cada corpo é um corpo e, sim, alguns corpos toleram bem os cozinhados e até beneficiam de algumas coisas aquecidas e “quebradas”. Sim, comer tudo cru é saudável para muita gente, é perfeito, é natural, mas o Mundo deu mil voltas desde o início dos tempos, os corpos mudaram, o sangue mudou, as enzimas mudaram, e acredito que cada um deve descobrir aquilo que é melhor para si, desde que, para isso, não abuse e mate outros seres que têm o mesmo direito a viver uma vida plena. Veganismo sim, agora cada um descobrirá o grau de cru dentro disso. Há um ano atrás, diria que 100% raw é perfeito para todos, hoje, sou honesta e digo-vos que já não vejo assim as coisas.

IMG_2294

Muito Amor para todos e boa caminhada neste LINDO planeta ❤

Anúncios

8 comments

  1. Olá Bárbara, queria esclarecer uma dúvida…. já que não conseguiste resolver o problema do eczema, o que fazes para (pelo menos) atenuar? É que sofro do mesmo problema (eczema capilar) e já tentei imensos produtos e até agora não ajudou muito….. 😔

    Gostar

  2. Boa noite! Gostaria apenas de informar que desde que me tornei vegetariana diminui em 80% as minhas crises de eczema. Estou em fase de transição, não consumo leite nem queijo, apenas ovos por vezes. Tenho eczema desde criança. E tenho a crença de q o problema melhorou não por deixar a carne e o peixe mas por ter deixado o leite acima de tudo! Enfim cada caso é um caso!

    Gostar

  3. Olá Barbara,
    sou vegana ha pouco tempo tendo vindo ha 6 meses progredindo de lacto-vegetariana, até vegana.
    Hoje estou a tentar começar uma alimentação mais crua, mas estou um pouco à deriva, e com fome xD , acordei por volta das 14h e pouco e fiz um batido de frutos vermelhos congelados, bebida de arroz da alpro, 1 colher de chá de spirulina e 1 colher de chá de clorela, e talvez umas 3 colheres de chá de acucar mascavado por nao ter tamaras /:
    Depois comi uma laranja, mas ainda sinto o bichinho da fome..
    Gostava com isto de tambem descobrir como eleminar a caspa.. penso que possa ser da alimentação mas nao estou certa, os produtos de cabelo que uso sao apenas shampoo herbatint que compro no celeiro (supostamente so ingredientes vegetais, n testado em animais e mascara de cabelo de germen de trigo e levedura de cerveja..

    Achas que estes produtos poderam na mesma estar a fazer-me mal ?
    Estou tambem em duvida se na alimentacao crua posso ou nao comer sopa e pão (pelo menos caseiro)

    São muitas questões, mas sei que tudo isto terá beneficios, dai vir por este meio pedir-te ajuda..

    O meu e-mai é alexandriaprady@gmail.com (nome que uso habitualmente, sendo que quase toda a gente agora me trata por alexandra meu segundo nome)

    ou skype jessal-29..

    Gostava de que se fosse possivel para ti claro, que falassemos ou fizessemos video chamada no caso de nao ser possivel conhecermos-nos pessoalmente, tudo isto porque até hoje ainda nao conheci mesmo pessoalmente ou de alguma forma mais interativa, alguem que fosse vegano ou ainda mais dificil, que fosse crudivoro.

    Desde já obrigada pela partilha de tanta boa informação e a possivel ajuda que me possas dar.

    – AlexandriaP.

    Gostar

Grata pelo feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s